Andrezinho: “É um prazer enorme vestir essa camisa”

terça-feira, 30/06/2015

Com passagens em grandes clubes do futebol brasileiro, Andrezinho volta ao Brasil para fazer história no Vasco

O meia Andrezinho, de 31 anos, é o novo reforço do Vasco para a temporada de 2015. O jogador, que teve passagens por grandes times brasileiros, como Internacional, Flamengo e Botafogo, chega ao clube para acrescentar mais qualidade ao setor criativo da equipe. 

Andrezinho é apresentado pelo presidente Eurico Miranda – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Com uma passagem marcante no Sul, Andrezinho acumula títulos importantes em sua carreira, tanto a nível nacional, quanto internacional. Após passagem de sucesso na China, onde foi bastante elogiado pelos torcedores do Tianjin Teda, o jogador fez questão de ressaltar a sua felicidade em voltar ao Brasil, principalmente em um grande clube como o Vasco.

– É uma satisfação muito grande vestir a camisa do Vasco. Queria agradecer ao presidente, ao vice-presidente, a comissão técnica, que confiaram no meu trabalho. Agradeço a todos que me proporcionaram essa volta. É um prazer enorme vestir essa camisa. Dentro de campo, espero ajudar a colocar o Vasco no lugar que merece. O Vasco é um clube acostumado com títulos. Eu aceitei esse desafio porque gosto de jogar em grandes times e em grandes competições. Tenho certeza que foi uma boa decisão – afirmou.
Questionado sobre a possível vinda de mais reforços para o Gigante da Colina, o presidente Eurico Miranda não descartou essa possibilidade e frisou que Andrezinho vem para ser um dos destaques do elenco.
– Eu gosto de fazer apresentações de jogadores que dispensam comentários. O Andrezinho vem para ser a estrela da companhia. Agora só vem para o elenco do Vasco quem quer ser protagonista – disse o presidente Eurico Miranda. 

Andrezinho ao lado do presidente Eurico Miranda e do vice-presidente de futebol José Luiz Moreira – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Andrezinho trabalhou com o técnico Celso Roth na conquista do Internacional da Taça Libertadores da América de 2010. Ao ser perguntado sobre a sua amizade com o treinador, o  jogador o definiu como um “pai”.

– O Celso foi um cara que eu tive a felicidade de trabalhar no Internacional. Ganhamos muitos títulos, alias o mais importante, foii a Libertadores. Ele é um cara trabalhador, que passa essa imagem de durão, mas eu o defino com o um pai. Ele sabe a hora de dar a bronca, mas sabe a hora certa de dar carinho – frisou.
Após a apresentação, o meia continua treinando com o grupo e aguarda a regularização de documentos para poder fazer a sua estreia pelo Vasco da Gama.