Antes como rival, Matheus Barbosa quer jogar com o Caldeirão a seu favor

domingo, 16/01/2022

Por: João Pedro Isidro, São Januário

Reforço mais recente do Vasco da Gama, o meia Matheus Barbosa se apresentou no CT Moacyr Barbosa no último sábado (15/1), e fez avaliações físicas e treino com bola no gramado. Com boas experiências na Série B, conseguindo dois acessos, o atleta espera repetir o feito com a do Gigante.

– Quando o Vasco, um clube gigante, entra em contato com você, ele não está te chamando, está te convocando. Estou muito feliz de estar aqui. Já tive dois acessos na Série B e se Deus quiser, vou fazer uma grande temporada junto dos meus companheiros para no fim do ano a gente comemorar o acesso, botando o Vasco no seu devido lugar, disputando grandes campeonatos – disse Matheus.

O meia já enfrentou o Vasco em algumas oportunidades, mas a mais marcante foi quando defendia as cores do Avaí, em 2019. O atleta lembra como foi entrar no gramado de São Januário e sentir o caldeirão ferver.

– Em 2019 eu enfrentei o Vasco duas vezes e realmente, é um caldeirão mesmo. Quando nós estávamos perfilados para entrar no gramado, a gente via a torcida cantando, dava pra sentir a paixão dos torcedores. Você via que era amor mesmo e cheguei até a ficar arrepiado. Dessa vez terei a torcida a meu favor e quero sentir isso, ver a torcida cantando e nos incentivando. Vai ser muito importante na nossa caminhada para conseguirmos os objetivos do clube – disse o camisa 18.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

O atleta também é lembrado por outro confronto contra o Gigante. Em 2021, ele vestiu a camisa do Cruzeiro e foi algoz do Vasco na disputa contra o time mineiro, no primeiro turno da Série B. Na ocasião, o Vasco abriu o placar com Morato, mas Matheus Barbosa fez dois gols e conseguiu a virada para a Raposa. Agora vestindo a camisa cruzmaltina, Matheus detalha suas características e promete muita entrega dentro de campo.

– O Matheus Barbosa é um cara bastante trabalhador, isso eu posso te dizer com toda a certeza. Vocês me conheceram pelo jogo passado, que acabei sendo feliz contra o Vasco, mas agora espero poder ajudar a favor, fazendo gols, ajudando a equipe. Vou me dedicar ao máximo, procurar estar evoluindo para ajudar os companheiros. Vou me doar bastante, sou um jogador de marcação que gosta de chegar no ataque, de pisar dentro da área. Posso atuar tanto como primeiro, quanto como segundo volante. Onde o professor optar, eu vou dar o melhor para ajudar o Vasco – finalizou o meia.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo