Barbieri cita período de formação e foca na evolução

terça-feira, 31/01/2023

Por: João Pedro Isidro, Assessoria de Imprensa

Após a partida do Vasco da Gama no Campeonato Carioca, com vitória do Volta Redonda, na noite desta segunda-feira (30), em Cariacica (ES), o técnico Mauricio Barbieri concedeu entrevista coletiva para os jornalistas presentes no estádio.

O treinador ressaltou que o Vasco passa por uma reformulação grande no elenco e que é necessário tempo.

– É preciso trabalho, é preciso ajustar, porque muitas vezes você tem que refazer o planejamento. A gente sai atrás dos principais adversários porque a maioria tem elencos formados. A cada ano vão acrescentando dois ou três, mas mantém a base. Com a chegada da SAF, a gente tem uma mudança abrupta porque está começando agora. Eu entendo a expectativa do torcedor, também é a nossa. Queremos que aconteça o mais rápido possível. Mas é preciso discernimento e sabedoria para entender que vai levar tempo – disse Barbieri.

Com atletas poupados para não comprometer a parte física, o treinador entendeu que independente dos atletas que estão em campo, o Vasco não vai abrir mão da identidade que quer para a equipe.

– Nunca consegui repetir a mesma formação. É uma dificuldade. A gente está tentando buscar, solucionar. Temos tido o cuidado de não perder alguém por uma lesão grave, como foi o caso do Nenê hoje. O Robson também foi nesse sentido, ele sentiu um incômodo na perna. O Orellano também. Estamos ainda nesse processo. Não vamos abrir mão da identidade que queremos para essa equipe. Uma equipe intensa, que busca gol. A gente fez isso, mas temos detalhes a ajustar – disse.

Barbieri também listou as dificuldades enfrentadas pelo Vasco por conta da formação do Volta Redonda. Reconheceu os erros da equipe e reforçou que é um período de formação e ressaltou a atitude dos atletas em busca do resultado.

– Não podemos esquecer que tinha um adversário que também cria dificuldades. Eles se fecharam bastante, fizeram muitas vezes uma linha de seis, sete jogadores. E deram mais esse espaço por fora. A gente cometeu erros, são normais. É um início de trabalho, eu tenho batido nessa tecla. A gente recebeu um número grande de novos jogadores, teve saída de jogadores. Acho que o clube tem se manifestado bastante nesse respeito. Estamos em processo de formação de elenco. O que eu não posso reprovar é a atitude, a disposição de buscar o resultado até o final. Tivemos oito oportunidades de gol. Temos que melhorar essa eficiência.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo