Barbieri revela a identidade ofensiva que quer para o Vasco

sexta-feira, 17/02/2023

Com a vitória contra o Botafogo por 2 a 0, na noite da última quinta-feira (16), no Maracanã, o Vasco da Gama entrou na zona de classificação para as semifinais do Campeonato Carioca. Após a partida, o técnico Mauricio Barbieri concedeu entrevista coletiva e começou torcendo pela recuperação do zagueiro do Botafogo, Philipe Sampaio, que saiu de ambulância do estádio.

– Antes de tudo quero desejar que o Philipe Sampaio fique bem, a gente ficou preocupado com ele. Esse retrospecto traz um peso, conversamos sobre isso na preleção, disse aos jogadores que essa história não nos pertencia, mas era esse grupo que teria a oportunidade de cessar essa escrita ruim para um clube gigante como o Vasco. Tínhamos um contexto difícil por conta dos desfalques, acho que começamos bem o jogo, a primeira expulsão deles sai em uma jogada bem trabalhada pela gente, se não tivesse a falta provavelmente faríamos o gol. Claro que a expulsão condicionou o jogo, mas tivemos equilíbrio e maturidade para buscar a vitória – disse Barbieri.

Com um repertório grande de jogadas e de finalizações ao gol, o treinador revelou que a equipe precisa ser mais efetiva, mas vê uma evolução clara do rendimento da equipe.

– A gente sempre trabalha e tem buscado soluções para criar bastante. É claro que a gente precisa ser mais efetivo, criamos muito contra o Fluminense, mas não conseguimos isso. Hoje deu certo. É sempre complicado este tema da eficiência. Temos 30 dias de trabalho e quase 10 jogos, então temos tido pouco tempo para treinar algumas situações, dentro delas essas questões técnicas. Como o intervalo é muito curto entre um jogo e outro, nós estamos focando mais na área tática. À medida que tivermos mais semanas abertas poderemos treinar mais essa questão da finalização – declarou o treinador, que completou falando sobre a identidade que deseja para o Vasco, de forma bem ofensiva.

– Eu acho que a gente vem fazendo boas partidas, jogamos bem contra o Nova Iguaçu e contra o Resende, contra o Volta Redonda foi um ponto fora da curva. Mas acho que estamos tentando construir uma identidade de sempre buscar o gol quando tivermos com a bola. A ideia geral nós temos mantido e estou satisfeito neste momento – completou o técnico – falou o comandante da equipe.

O Vasco da Gama volta a campo na próxima quinta-feira (23), para encarar o Trem (AP), em Brasília, pela primeira fase da Copa do Brasil.

 

 

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo