De volta após título pela Seleção Brasileira, Andrey Santos valoriza apoio dos mais experientes

quinta-feira, 16/06/2022

Uma das novidades na lista de relacionados do Vasco da Gama para a partida contra o Londrina será o jovem Andrey Santos. O Menino da Colina retorna ao grupo de convocados após reforçar a Seleção Brasileira sub-20 na disputa do Torneio Internacional do Espírito Santo. A competição terminou com o título da equipe canarinha e coube ao talentoso cruzmaltino, capitão da equipe, levantar a taça, conquistada com uma goleada sobre o Uruguai.

– É sempre um sonho representar meu país, graças a Deus venho conseguindo realizar. Já tenho bastantes jogos na seleção, em outras oportunidades já fui capitão, mas nessa agora foi especial para mim. Em relação ao Ramon, que também é um ídolo do Vasco, posso dizer que ele é um paizão, vem sempre conversando comigo, diz que é importante ter cabeça no lugar e pés no chão – afirmou Andrey Santos.

Foto: Daniel Ramalho/Vasco.com.br

Antes de se apresentar à Seleção Brasileira, no início da semana passada, Andrey Santos fez sua melhor apresentação pela equipe profissional. Diante do Náutico, no Recife, o camisa 16 marcou o primeiro gol pelo time principal e iniciou a jogada que resultou no terceiro tento, anotado por Nenê. Ao avaliar seu momento atual, o jovem de 18 anos fez questão de exaltar a ajudar dos mais experientes.

– Graças a Deus eu estou bem, estou conseguindo desempenhar meu futebol da melhor maneira. Quando comecei estava meio tímido, mas meus companheiros me ajudaram a ficar tranquilo. É uma coisa que eu carrego comigo (personalidade), é fundamental, ainda mais para um garoto. Sair do simples e poder fazer o que você tem confiança para executar. Fico feliz por ter essa personalidade – disse o camisa 16, acrescentando na sequência.

– É difícil escolher um só jogador, nosso grupo é bastante querido. Todos sempre vem me apoiando, mas acho que os mais e destacam é o Quintero, Nenê, Anderson, o Thiago também, Yuri… É difícil falar nomes. É sempre gratificante saber que eles querem o melhor para mim e para o Vasco também. Me sinto muto feliz pelo trabalho que vem sendo realizado, no profissional e na base. É importante essa relação, fundamental essa troca de jovem e experientes – finalizou o Menino da Colina.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo