Do Vasco da Gama para Roberto Dinamite

terça-feira, 10/01/2023

Roberto,

Aqui quem vos fala é o Vasco da Gama. Venho para deixar meu abraço emocionado e, sobretudo, agradecer. Entre nós não há segredos, Roberto. Nos conhecemos há mais de 50 anos e, desde então, não há mais Vasco sem Roberto Dinamite. Nos conhecemos quando você ainda era apenas um Roberto e hoje nos despedimos do maior ídolo de uma instituição mais que centenária. Em meio a tantos ídolos que desfilaram pelo gramado de São Januário, você foi o maior, Roberto. Não foi mais um. Não foi apenas um dos maiores. Foi o maior de todos.

Entre nós não há segredos. Vasco e Roberto Dinamite são sinônimos, e sempre serão. Essa é a minha promessa, meu amigo. Nunca deixarei que os vascaínos e o mundo se esqueçam dos seus feitos. Afinal, sua tarefa não foi fácil: os craques que desfilavam pelo Brasil estavam na primeira prateleira do futebol mundial. E lá estava você, batendo recorde atrás de recorde; marcando alguns dos gols mais inesquecíveis para os vascaínos; e representando as cores da seleção brasileira. De todos os que representaram as cores do Vasco, ninguém representou o Vasco de forma tão vibrante e longeva quanto você. Excelência, lealdade, paixão. Você é incomparável, Roberto!

O super-herói da vida real.

Você parte desse mundo, mas nunca deixará de existir. Você mudou vidas e fez sonhar; fez vascaínos baterem no peito e encheu adversários de medo; inspirou paixões e admiração profunda. Marcou inacreditáveis 708 gols com a cruz de malta no peito, é o maior artilheiro do Brasileirão, do Carioca, de São Januário e de todos os nossos clássicos no Rio de Janeiro.

Você é o ídolo perfeito, Roberto. E que sorte do Vasco poder sorrir e chorar tantas vezes com vocês.

O Vasco te ama e este amor é como aquele que une o clube e seus torcedores: é infinito e inesquecível.

Obrigado, obrigado, obrigado!

Vá em paz, Roberto. O Dinamite fica conosco para sempre!

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo