Em Brasília, Diretoria do Vasco tem agenda com ministros e reforça atitudes do manifesto

quarta-feira, 08/02/2023

Em Brasília para a partida contra o Nova Iguaçu, que aconteceu na noite da última quarta-feira (07/02) e terminou com vitória cruzmaltina por 2 a 0 no Mané Garrincha, a diretoria do Vasco da Gama cumpriu uma agenda com ministros do Governo Federal. Os encontros tiveram como objetivo reforçar o engajamento do Gigante da Colina em ações que defendam os ideais Respeito, Igualdade e Inclusão.

– O Vasco entende que não adianta só ter o discurso. É preciso também ter ações. Por essa razão, após a publicação do manifesto reforçando o que vai ser o Vasco nos próximos 100 anos, nos reunimos com o Governo Federal e nos colocamos à disposição para implementar ações afirmativas e que sigam os ideais que defendemos no manifesto – afirmou o CEO Luiz Mello.

Representada pelo CEO Luiz Mello, pela diretora jurídica Gisele Cabrera e pelo diretor de comunicação Felippe Costa, a direção do Vasco da Gama teve sua agenda no Distrito Federal iniciada em encontro com a ministra da Igualdade Racial Anielle Franco para debater ações que contribuam no combater o racismo e o ódio no futebol.

Na sequência, os representantes vascaínos se reuniram com o ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania Sílvio Almeida, onde a luta contra o racismo foi destacada. A luta histórica do Vasco e o manifesto lançando pelo clube no início da semana também foram pauta. O Cruzmaltino se colocou à disposição para ajudar o ministério em ações contra a discriminação racial.

A agenda de encontros foi concluída em reunião com a ministra dos esportes Ana Moser. Uma das maiores jogadoras da história do vôlei brasileiro, a ministra colocou o Governo Federal à disposição do Vasco para parcerias em projetos que visem o incentivo ao esporte, em especial para as crianças das comunidades Barreira do Vasco, Tuiuti e Cidade de Deus.

– Priorizamos nesse primeiro momento os encontros com a ministra Anielle Franco, com o ministro Silvio Almeida e com a ministra Ana Moser por entendermos que esses três ministérios são estratégicos para que o clube consiga tirar do papel projetos ligados ao manifesto. Ficamos feliz em saber que o Governo Federal irá ajudar na realização das ideais que Vasco pretende desempenhar nos próximos anos na busca por Respeito, Igualdade e Inclusão – concluiu o CEO Luiz Mello.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo