Em coletiva, Joel faz balanço da sua primeira semana no Vasco

sexta-feira, 12/09/2014

Depois do treino da manhã desta sexta-feira (13/09), em São Januário, o técnico Joel Santana  concedeu entrevista coletiva para a imprensa. O Natalino falou sobre sua primeira semana como treinador da equipe cruz-maltina e seus principais ajustes no elenco.

Questionado a respeito de algumas mudanças que fez nos treinamentos, mais especificamente, Aranda por Pedro Ken, e Thalles por Edmílson, o treinador não definiu quais deles iniciam jogando neste sábado (14/09), contra o Atlético Goianiense, no Estádio Mané Garrincha, às 16h10.

– Essa decisão só vou tomar lá, mas os restantes devem ser os mesmos jogadores (dos treinamentos). Quanto a essa decisão conversar com meus dois auxiliares, analisar com o Ronaldo o condicionamento físico, um monte de situações para fechar melhor na nossa cabeça. Não quero antecipar porque eu posso falar uma coisa para vocês e chegar lá trocar, aí não fica bom nem para mim nem para vocês – explicou Joel.

11 manhã Joel Santana – Foto: Marcelo Sadio/Vasco.com.br

Fazendo uma análise de como foi sua nova chegada ao Gigante da Colina, o treinador demonstrou cautela, e ao mesmo tempo, bastante motivação e alegria.

– Muita coisa para nós em dois dias observarmos por completo, mas está tudo acontecendo dentro daquilo que a gente gosta. Estamos começando o trabalho na hora, nenhum tipo de problema, situação de atraso ou algo que prejudique o treinamento, os jogadores estão cumprindo religiosamente o que é determinado. A coisa está correndo da melhor maneira possível, agora, precisamos ganhar jogo para continuar nesse ambiente tranquilo – destacou.

O treinador ainda falou a respeito, especificamente, de alguns atletas do clube:

Martin Silva

"Muito educado, atencioso, deixei ele a vontade, conversamos ali no setor defensivo e eu falei, ‘meu amigo, o gol é com você, tudo começa aqui’. Ali no gol tem que ter unção. Você tem um bom goleiro, tem 50% do time. E o goleiro sempre que tinha resultado positivo tinha unção lá atrás. O cara quando está com azar, ele encosta na bola, ela bate na trave e entra. Um jogador experiente, de um país e uma língua diferente, e nós nos entendemos porque eu o deixei a vontade, só não quero tomar o gol. Eu falei para ele ‘cobra da defesa senão eu vou cobrar de você'".  

Lorran

“Mostrou personalidade, desenvolveu talvez até com mais facilidade por ser um jogador de casa. Um menino ainda, com cara de garoto. Ele vem jogando bem, e assim, a gente não mexe nas coisas, deixa como está. Eu não sou de ficar mexendo muito não. Jogou bem no outro jogo, neste último também, e se continuar vai assumir a titularidade. Ali nós vamos revezando da melhor maneira possível, no futebol cada jogo é uma história”.

Kléber Gladiador

“Extra-campo ele é um jogador super profissional, interessado, que treina a beça e é um jogador invocado, encardido. É esse tipo de jogador que eu quero, que está interessado a todo o momento, que não se satisfaz com resultado negativo ou quando está jogando mal, e jogador tem que ser assim, guerreiro, macho. Apesar de conhecê-lo a pouco tempo, ele não é de falar muito, fica sempre na dele, pronto".

Embora o Vasco tenha chance de assumir a liderança ainda nesta vigésima segunda rodada do Brasileirão, o técnico Joel Santana demonstrou mais preocupação com a posição na reta final do que no prezado momento. Embora veja como uma grande necessidade uma sequência de vitórias, o Natalino afirmou não adiantar nada ficar quase toda competição no topo da tabela e cair nas últimas rodadas. Citando o atletismo como exemplo, falou que existem corredores que se preocupam somente em ficar nas primeiras colocações, armazenando gás para na reta final assumir a ponta.