Eurico Brandão Miranda e Anderson Barros falam com os jornalistas no dia da apresentação de Muriqui

sexta-feira, 06/01/2017

Vice-presidente de futebol e gerente respondem sobre assuntos abordados pela imprensa nos primeiros dias de pré-temporada

O vice-presidente de futebol do Vasco, Eurico Brandão Miranda, e o gerente de futebol, Anderson Barros, conversaram com a imprensa antes da apresentação atacante Muriqui, no fim da tarde desta sexta-feira (06/01), em São Januário. No encontro, diversos assuntos foram tratados, como negociações, reapresentação do goleiro Martin Silva e permanência de atletas, entre outros assuntos. O dirigente explicou a situação do atacante Luís Fabiano, principal nome ventilado pela mídia para reforçar o Gigante da Colina.
– É um atleta que está sendo especulado. Inegavelmente tem um nível muito acima dos outros, apesar de alguns acharem que não. Sempre interessa aos grandes clubes brasileiros, mas tem mais um ano de contrato com os chineses. Até ele ir lá e resolver, tudo o que falarem é especulação. Ninguém vai poder acertar nada. Tudo especulação – afirmou Eurico Brandão Miranda.
O vice-presidente de futebol também comentou que os horários dos anúncios oficias dos reforços vascaínos não foram premeditados.
– Os horários de anúncio dos reforços foram coincidência. O Escudero queríamos apresentar no Natal e esperamos passar da meia-noite para divulgar o acerto com o jogador. O Muriqui estava aqui desde cedo, mas precisávamos de todos os documentos, tudo aprovado pelo jurídico, aí ficou tarde. Depois que está assinado, fica difícil guarda segredo. Normalmente, negociamos durante o dia e as coisas acabam acontecendo à noite. No próximo quem sabe a gente anuncia cedo, mas não é comum – disse.
Questionado pela imprensa, sobre a reapresentação do Martin Silva, Anderson Barros colocou um ponto final no assunto:
– Conversamos com o Martin Silva um dia antes. Não poderíamos expor nada antes de falar. Ele continua a ser a referência que foi para o clube. Todas as nossas ações administrativas são coisas internas, reservadas. Temos uma série de ações que podem ser tomadas. Ele errou ao se apresentar depois – afirma.

Após esclarecimentos, dirigentes apresentaram o atacante Muriqui – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Confira os principais tópicos abordados por Eurico Brandão Miranda
Diego Souza
“Para acabar com especulação, o Diego Souza tinha contrato com Sport, e para se negociar deve-se conversar com o clube. Confirmamos apenas que existia a possibilidade e fomos pelo caminho que deve ser feito. A multa é de quase R$ 5 milhões. Além disso, o jogador tem pendências com o clube, o que é um obstáculo. Duas ações contra o Vasco, trabalhista e cível. Então, para começar precisaríamos de R$ 12 milhões. Então, não fizemos proposta. Inviável. A ação cível é sobre direito de imagem. Quem estava aqui, por incompetência, rescindiu o contrato, mas não rescindiu o direito de imagem. O Vasco vai discutir isso, porque ele já havia saído do Vasco há muito tempo e tinha direito de imagem com os outros clubes pelos quais estava atuando”.
Pichações
“Quem picha não é torcedor do clube. Nunca vi ninguém pichar a própria casa. O cara se diz vascaíno e vem atingir o patrimônio no clube. Gerou despesa. A tinta que comprou poderia ter entrado para o sócio-torcedor. Qualquer atleta que está em negociação não gosta de ver um ambiente hostil. Eleição é em novembro. Esperem mais um tempo para atacar”.
Reforços
“O planejamento está correndo dentro do previsto. Nos comprometemos a contratar de quatro a cinco reforços de bom nível, e é isso que vai acontecer. Temos até o dia 29 de janeiro para isso. O Torneio da Flórida é de preparação, uma pré-temporada. Teremos o tempo necessário para montar o nosso elenco. Os atletas que queremos trazer já estão com as propostas. Qualquer jogador que venha para o Vasco, podem gostar ou não, mas estamos trazendo reforços que acreditamos que podem ser titulares, com grande capacidade técnica. Nós temos que decidir junto com a comissão técnica”.
Atentado nos EUA
“É triste, mas hoje em dia temos que conviver com essas coisas. Algumas precauções precisam ser tomadas, mas certamente o governo americano vai tomar. Nós pousamos em Miami e vamos para Boca Raton. Não temos muito o que fazer, é seguir a vida.”
Nenê
“O jogador que não está satisfeito, não fica no Vasco. Se algum dia ele chegar e disser isso, o clube não pode ficar com jogador que não está satisfeito. Ele é uma referência. Por enquanto, não aconteceu. Quem está infeliz não produz.”
Maracanã ou Engenhão
“Estávamos com a previsão de que os clássicos seriam no Maracanã ou Engenhão. Se vai ser no Engenhão, é porque deve ter algum problema com o Maracanã, um estádio que custou milhões e cada hora tem um problema. Esta é a situação dos bens públicos do Brasil. Engenhão é um belo estádio, onde fomos vitoriosos contra o próprio Fluminense no ano passado.”

Confira na íntegra