Instagram Facebook Tiktok Youtube Twitter Flickr
Bandeiras
Futebol

Segunda-feira, 01/09/2014

Após treino da manhã, Guiñazu concede entrevista coletiva

31 manhã Henrique disputa bola com Guiñazu – Foto: Marcelo Sadio/Vasco.com.br

Na manhã desta segunda-feira (01/09), o volante Guiñazu deu entrevista coletiva e falou sobre a reação do elenco após a saída do técnico Adilson Batista. O argentino lamentou a decisão do comandante mas ressaltou a importância do grupo em superar esse momento e ir em busca da vitória nos próximos jogos.

 – Qualquer noticia que termina com a saída do treinador ‘né’, em uma decisão própria, o grupo fica triste. Ele já estava desde o ano passado batalhando com a gente. Mesmo assim, nosso grupo está bem pertinho, sabemos que não é o que a gente quer mas deixamos escapar tudo. Se eu não estou errado são 8 ou quase 9 meses juntos, a gente começa a se acostumar com o trabalho, tudo, mas isso para que fique bem claro, futebol é resultado, quando ganha é melhor do mundo quando perde não presta, sempre vai ser assim. Uma cobrança legal, a gente sabe que é parte do jogo. A gente fica triste com a saída dele, mas eu sempre tenho presente uma coisa, quando a decisão é de um homem como o Adilson temos que respeitar, o que ele sente por dentro e tudo, é ele mesmo – afirmou o volante.

O “Pitbull” da Colina deu seu parecer sobre a cobrança da torcida.

–  O torcedor pode fazer o que quiser, a gente treina, é profissional, quando vai para dentro de campo damos o nosso melhor, quando o resultado não vem em um time grande como o Vasco tem que estar preparado para tudo. A gente não está aqui somente para passear no Rio de Janeiro, ou coisa e tal, estamos aqui, damos a vida, sofremos, saímos de casa, a gente as vezes quer sair do nosso apartamento de um modo tranquilo. Não é brincadeira, a gente está aqui de um jeito muito sério, o futebol não é como começa  e sim como termina, a gente ainda está vivo, com tranquilidade vamos demonstrar isso – esclareceu.

Na véspera de enfrentar o ABC, no segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, após empate de 1 a 1 em casa, o volante foi questionado sobre a possibilidade do elenco deixar a competição em segundo plano e priorizar a Série B do Brasileiro pelo fato de estar na metade do campeonato e ter saído do G4. Prontamente, o jogador negou.

– Acho que se um jogador está no clube tendo a chance de continuar em uma competição como é a Copa do Brasil, com um resultado totalmente aberto, e eu te falar que não vou buscar a Copa do Brasil não posso jogar mais bola. O Vasco vai buscar, aconteça o que acontecer, com todas as forças, com todo o espírito, também para dar um presente pra esse grupo que sofre prá caramba! Quem trabalha aqui vê isso! E para o treinador que saiu é uma linda maneira de falar que a gente estava vivo – salientou.


Compartilhe esta notícia
Cruz de Malta

Outras Notícias