Ídolos da história do basquete vascaíno comentam o retorno do Gigante ao cenário nacional

terça-feira, 14/06/2016

A história vencedora do basquete vascaíno não é novidade. Apesar de um período longe das quadras, o Gigante da Colina coleciona diversos títulos em sua trajetória no esporte. Além das conquistas estaduais, o Cruzmaltino é marcado por ser um clube de triunfos nacionais e internacionais. A maioria destes títulos foram conquistados com a chamada geração de ouro de São Januário do final dos anos 90 e início dos anos 2000.


Hélinho na reinauguração do Ginásio Vasco da Gama – Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
O retorno do Vasco para o basquete não poderia ser de outra maneira. Campeão da Liga Ouro, torneio nacional que garante ao primeiro colocado vaga no NBB (principal competição do Brasil), o Gigante começa a traçar mais uma vez seu rumo de vitórias. Técnico da fase áurea vascaína, Hélio Rubens conversou com o Site Oficial e comentou sobre a felicidade de rever o Almirante em destaque no cenário nacional. 
– Eu vibrei intensamente. Torci muito, fiquei feliz com esta vitória. O Vasco merece isto pela sua tradição no basquete. Me orgulho muito de ter participado desta história campeã do Vasco e espero poder contribuir de novo. Este clube tem esta missão, é o clube do povo, trabalha com suor e amor. Isto é sentido pelo público, por isso esta torcida fantástica. O basquete está muito competitivo, tem muitas equipes de qualidade e o Cruzmaltino tem que se estruturar, como todos os times fazem, para obter a melhor classificação possível – disse Hélio Rubens.

Hélio Rubens conversa com o  time durante jogo comemorativo – Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Armador, ídolo e filho do comandante cruzmaltino da época, Helinho também não escondeu a alegria em presenciar a volta do Almirante às quadras. Muito identificado com o Vasco, o antigo camisa 4 ainda sente nas ruas todo o carinho da torcida vascaína. Dos destaques da campanha cruzmaltina na Liga Ouro, Hélio e Palacios, dois armadores, se sobressaíram. Helinho aproveitou para analisar o desempenho dos atletas em uma função tão conhecida por ele.
É uma alegria ver uma das maiores equipes voltar ao cenário nacional e internacional. Eu me sinto muito feliz de presenciar o clube que eu tenho o maior carinho e orgulho de ter representado estar retornando para o basquete em alto nível. O Hélio e o Palacios são dois excelentes jogadores, foram importantes para que a equipe conseguisse a virada nos playoffs e acho que tiveram méritos. O Hélio já atuou por várias equipes, experiente. Não conhecia o Palacios, mas teve um papel preponderante. Muita personalidade, demonstrou foco e os dois produziram muito para este titulo – comentou Helinho.
Além do pai e filho daquela geração, outro integrante do time de ouro da época também falou sobre a volta do Gigante. Mingão, que atualmente continua defendendo as cores do Cruzmaltino, desta vez com a equipe master de São Januário, exaltou o título da Liga Ouro e ressaltou a história vascaína no basquete.
– O Vasco, com todas as suas conquistas em âmbito regional, nacional e internacional, por si só, já traz o peso da história do basquete do nosso país. E não poderia ficar fora desse momento que vivemos hoje na Liga. A nossa torcida com certeza agradece o retorno – afirmou Mingão.