Jorginho analisa atuação do Vasco em jogo polêmico contra o Avaí

domingo, 04/10/2015

Pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Vasco empatou com o Avaí por 1 a 1, jogando na Ressacada, em Florianópolis. O confronto ocorreu na manhã deste domingo (04/10), e teve um time vascaíno aguerrido, com mais volume de jogo, principalmente no primeiro tempo. Na segunda etapa, o ritmo caiu e o Cruzmaltino acabou sofrendo o empate. Com o resultado, o Gigante da Colina continua sua recuperação no campeonato e aumenta sua invencibilidade para seis jogos. Após o duelo, o técnico Jorginho falou sobre a partida com os jornalista.

– Nosso time caiu de produção no segundo tempo. Teve aquela confusão toda por causa do pênalti e as duas equipes se descontrolaram. Lamentamos deixar dois pontos aqui. Poderíamos ter decidido o jogo antes. É importante não sair com a derrota, que poderia ter acontecido no fim do jogo – falou o treinador vascaíno.

Bola de um lado, Vagner de outro. Nenê cobrou o pênalti com categoria para o Vasco – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
A arbitragem foi bastante confusa e atrapalhou o desempenho cruzmaltino. Os erros começaram em um pênalti não assinalado pelo árbitro Luís Teixeira Rocha sofrido por Jorge Henrique, no final do primeiro tempo, no momento em que o clube de São Januário era melhor em campo e vencia por 1 a 0. Na segunda etapa, marcou uma penalidade a favor dos catarinenses após a bola bater na mão de Madson em lance polêmico que deixou a dúvida se foi dentro ou fora da da área. Jorginho falou sobre o assunto e criticou a arbitragem.

– Realmente aconteceram erros que foram capitais no jogo e a única coisa que eu gostaria de falar da arbitragem é que temos que ver isso, até mesmo a CBF analisar. É a segunda vez que este árbitro está apitando no Brasileiro somente. É uma questão muito importante, que deixo sempre com a diretoria. Mas, um jogo tão importante quanto este, as duas equipes lutando por objetivos parecidos, então, era essencial que tivéssemos um árbitro mais experiente. Claramente, podemos ver que aconteceram erros gritantes. Daqui para frente, as coisas vão afunilar cada vez mais. Tentamos ter equilíbrio, mas quando eu vi o pênalti bem fora da área, fiz algo que nunca tinha feito, que foi correr em direção ao quarto árbitro – disse o comandante.