Léo Matos diz ter muita gratidão pelo Vasco e mira primeiro clássico da temporada

sexta-feira, 11/02/2022

Por: Breno Prata, São Januário

O lateral-direito Léo Matos concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (11/02), no CT Moacyr Barbosa. O defensor vascaíno abriu a entrevista falando sobre o clássico com o Botafogo no próximo domingo (13), às 20h, no Estádio Castelão (MA). O camisa número 3 revelou que a equipe poderá demonstrar o trabalho que vem sendo feito nesse primeiro clássico da temporada e disse que uma vitória no domingo trará mais consistência ao elenco.

– Primeiro clássico do ano, vamos poder mostrar o trabalho do Zé. Está sendo muito bom. Uma vitória no domingo nos dará mais consistência para seguir nesse caminho – concluiu.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Nesse início de temporada, o técnico Zé Ricardo vem utilizando o recém contratado Weverton como o titular da lateral-direita. Léo Matos avaliou esse processo como natural do futebol e revelou que motivação e confiança nunca faltaram. Antes de finalizar, o defensor disse ainda que só de estar no Vasco já tem um grande valor e destacou que tem muita gratidão ao Clube.

– Motivação e confiança nunca me faltaram. Tenho jogado menos com Zé Ricardo, mas faz parte do futebol. O Weverton é um grande jogador, muito potencial. Fui titular na maioria dos times que passei. Isso faz parte do futebol. Com o tempo a gente consegue ver as coisas de forma coletiva. E fico super feliz quando os companheiros vencem o jogo, independe de jogar. Para mim só de estar no Vasco já tem um grande valor. Por tudo que passei no Vasco, fui um dos poucos que fiquei. A maioria dos meus colegas não ficou. Por terem depositado essa confiança em mim, tenho muita gratidão – disse o lateral, antes de finalizar.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

– O meu foco nesse ano é devolver o Vasco para a primeira divisão. Não sei se estarei no Vasco no próximo ano. Sou do Rio. Imagina quantos amigos e familiares vascaínos eu tenho. Pior do que um xingamento na internet, é ver um amigo pedir para melhorar. Quero contribuir no acesso e para sermos campeões cariocas – completou.

Confira outros trechos da entrevista coletiva: 

Mudanças no Botafogo

– Temos que estar focados no nosso rendimento. É um clássico. Precisamos focar no que precisamos fazer dentro de campo para vencer e esquecer o Botafogo. O Botafogo tem praticamente o mesmo grupo que venceu a Série B do ano passado. Talvez não vivam o melhor momento, mas tenho certeza que estarão super motivados para vencer o Vasco da Gama.

Receber a braçadeira de Anderson Conceição

– Achei sensacional. Conheci o Anderson há pouco tempo. Um caráter sem igual. E dentro de campo as atuações dele vêm me surpreendendo muito positivamente. Não o conhecia tanto. Não foi nada combinado. Isso mostra o caráter que ele tem. E o respeito pelos jogadores que estão há mais tempo. Não é comum no futebol. É senso de coletividade que o Zé vem implantando no grupo. O coletivo vai fazer com que naturalmente a individualidade apareça. Se continuar assim, temos tudo para fazer um grande ano e dar muitas alegrias ao torcedor.

Mais sobre possível mudança de posição

– Minha posição é lateral, já atuei algumas vezes como zagueiro e tive sucesso, até pela ajuda que recebi dos companheiros. Tudo é treinamento. Não é fácil. Sou lateral-direito, posso colaborar como zagueiro e já joguei algumas vezes como volante. Mas é uma posição que acho mais complicada do que zagueiro. Se precisar, estou à disposição. Não tem problema. Mas como zagueiro acho mais fácil por ser uma posição mais parecida com a que sou especialista.

Recepção em São Luis no ano passado

– Foi sensacional aquela recepção. Não esperava. Nem imaginava que tinha tanto vascaíno no Maranhão. Foi muito legal. O estádio provavelmente estará lotado e vai ser um grande jogo.

Pressão por vitória no clássico

– Ter que ganhar é uma pressão desnecessária para o clube. Claro que uma vitória seria bom para chancelar o bom trabalho que está sendo feito no Vasco. Mas se ela não vier, não será desastroso. O Zé vai corrigir as coisas. Tenho certeza que o trabalho está sendo bem feito.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo