Líder de assistências na equipe vascaína, Hélio comenta próximo compromisso do Gigante do Basquete

domingo, 20/03/2016

Vasco viaja nesta segunda-feira (21/03) para enfrentar o Campo Mourão, no Paraná

Hélio, o líder de assistências do Vasco na Liga Ouro – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O Gigante do Basquete está concentrado para os próximos desafios na Liga Ouro. Mesmo vindo de uma derrota contra o Sport e disputando a próxima partida fora de casa, contra o líder do campeonato, a equipe de Campo Mourão (PR), o Cruzmaltino viaja na próxima segunda-feira (21/03) confiante em conquistar duas vitórias no Paraná. Acreditar em dois bons resultados no sul do país não é à toa. Ao analisar o retrospecto coletivo e individual da equipe de São Januário, a certeza de crescimento do elenco se torna evidente.

Nas estatísticas observadas no torneio nacional, o Vasco se destaca em todas. Número de pontos, rebotes, assistências, arremessos de dois pontos, arremessos de três pontos, lances livres, bolas recuperadas e tocos, além do quesito eficiência. O Almirante tem, no mínimo, um atleta presente dentre os cinco melhores em cada fundamento. Nas assistências, quem lidera para o Cruzmaltino é o armador Hélio, somando 15 passes para cestas, com apenas cinco de diferença para o primeiro colocado geral, Michel, do Sport, que tem 20. Nas quatro partidas disputadas até o momento, o camisa 5 foi o melhor no quesito em três ocasiões.
– São números relativamente bons, mas eu não costumo usar isso de parâmetro. Eu acho importante para quem está de fora analisar. A gente quer ajudar sempre, tentar fazer o time jogar, sair vitorioso. Procuro continuar trabalhando para melhorar e auxiliar a equipe da melhor forma possível. Sempre fui um armador que puxei ponto e com o tempo tentamos melhorar os passes e o controle do jogo. Assistência é a característica da minha posição. Tento fazer isso da melhor forma possível para que o time jogue com eficiência – disse Hélio.

Hélio em ação contra o Ginástico no Ginásio Vasco da Gama – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Outra característica primordial para jogadores que atuam nesta função é o arremesso de três pontos. Além do excelente aproveitamento nas assistências, Hélio também arrisca muitos chutes de longa distância e tem um bom número de conclusões certeiras. No Vasco, o armador só tentou e acertou menos do que o americano Collum, que tem como principal marca a bola de três pontos.

– É um dos desafogos da equipe. O armador tem a prioridade, a princípio, de tentar fazer o time jogar, colocar os companheiros nas melhores posições possíveis para arremessar e ditar o ritmo da equipe. Consequentemente, aparecem oportunidades de fazer os chutes de fora. Tem que treinar para ter um bom aproveitamento. Não é uma matemática, temos que procurar os espaços, abrir o jogo e criar situações de desequilíbrio. Esta é uma característica minha, sempre tentei estas bolas e procuro acertar o máximo possível nas partidas – comentou o vascaíno, que também aproveitou para analisar o próximo rival.
– É uma motivação a mais encarar o líder da competição. Eles estão invictos e atuarão em casa. É um time que vem jogando bem, pelo que vimos nos vídeos. Conseguiram o entrosamento um pouco mais cedo do que os outros. Claro que será muito difícil, mas precisamos nos impor. Qualidade técnica, física e tática nós temos e tentaremos nos superar dentro de quadra, diminuindo nossos momentos ruins, para fazermos um duelo mais equilibrado e sairmos vitoriosos – finalizou Hélio.