Luiz Henrique comemora chance no Vasco e exalta Zé Ricardo

quinta-feira, 24/02/2022

Um dos mais recentes reforços anunciados pelo Vasco da Gama para a temporada de 2022, o meio-campo Luiz Henrique foi apresentado na tarde desta quinta-feira (24/02) no CT Moacyr Barbosa, na Cidade de Deus. Com contrato assinado até 30 de novembro deste ano, o jogador de 22 anos recebeu a camisa 88 das mãos do gerente geral Carlos Brazil.

– Luiz Henrique é um jogador que acreditamos muito, se trata de uma promessa. Já trabalhei com ele na formação e conheço todo o potencial técnico que ele possui. É um jogador que certamente vai ajudar muito o Vasco nesse projeto que visa o acesso à Série A. Ele tem treinado muito bem, o que não é surpresa – afirmou Carlos Brazil.

Roberto Rosendo/Vasco.com.br

Natural do Rio de Janeiro, Luiz Henrique irá reencontrar no Gigante da Colina o técnico Zé Ricardo, com que trabalhou nas categorias de base do Flamengo. Ao falar sobre o comandante cruzmaltino, o meio-campista não poupou elogios e revelou que esse foi um dos motivos que o fizeram aceitar o desafio de vestir a camisa do clube com a história mais bonita do futebol.

– Só tenho que agradecer ao professor Zé Ricardo por ter me ligado e passado o projeto do Vasco. Não pensei duas vezes, por causa da camisa, da grandeza desse clube. É o Vasco, não é qualquer time, é um gigante do futebol brasileiro. Será uma honra jogar onde Juninho, Pedrinho e Coutinho jogaram. Sou mais um no projeto do Vasco e espero ajudar o clube a voltar para a elite do futebol brasileiro – declarou Luiz Henrique.

Roberto Rosendo/Vasco.com.br

Clássico contra o Fluminense

“Estou muito bem fisicamente, treinando duas semanas no Vasco. Me sinto muito bem dentro de campo. Deixo pro professor Zé Ricardo, ele sabe fazer da melhor maneira. Creio os titulares estão muito bem. Vou continuar treinando forte para, quando chegar oportunidade, aproveitar da melhor maneira. Clássico é 11 contra 11, quem estiver melhor e fizer os gols sai com a vitória. Vamos buscar a vitória”

Trote do elenco

“Tem que levar na esportiva. Isso ajuda melhorar no dia a dia. O grupo lá dentro de campo é sério, mas fora de campo é alegria, brincadeira. Já passei no corredor, dói pra caraca (risos). Na concentração pede para cantar, imitar algum animal. É brincadeira, acho isso legal. Dentro de campo, quando a bola rola, tem que ser sério”

Roberto Rosendo/Vasco.com.br

Recepção no elenco

“Fui recebido muito bem. Já conhecia a rapaziada da base, como o Gabriel Pec, Ulisses e o Halls. Treinar com o Nenê é uma honra, já tem certa idade, mas dentro de campo parece menino novo, corre por dois, três. E com a bola não preciso nem falar. É uma referência, não só para mim, mas para todos nós”

Características de jogo

“Eu comecei atuando como meio-campo, na posição de camisa 10, mas depois passei a jogar como segundo volante. Me sinto à vontade atuando nessas duas funções. Onde o professor Zé achar melhor me utilizar, dependendo do jogo, estarei à disposição para ajudar o Vasco, contribuir para o grupo”.

Roberto Rosendo/Vasco.com.br

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo