Luxemburgo exalta vitória e relembra gol histórico de Roberto Dinamite no Carioca de 1976

domingo, 10/01/2021

Por: Breno Prata, São Januário

Após a vitória no clássico diante do Botafogo por 3 a 0, neste domingo (10/01), o técnico Vanderlei Luxemburgo concedeu uma entrevista coletiva. Questionado sobre a importante vitória do Gigante da Colina e sobre a bela apresentação da equipe, o comandante exaltou a importância dessa vitória e relembrou o gol histórico marcado por Roberto Dinamite pelo Campeonato Carioca 1976.

– Vitória contra um adversário que tem tradição, e rivalidade é muito grande, essa coisa vem de longo tempo. Um dos gols mais bonitos da história de Vasco da Gama x Botafogo vem do Dinamite, o maior jogador da história do Vasco da Gama, é num jogo em que o Roberto dá um chapéu no Osmar Guarnelli. Citei isso na preleção hoje. Para ganhar, tem que ralar e suar. Encontramos adversário difícil, centroavante com a bola aérea muito forte. Encaixamos e passamos a ter a superioridade. Era adversário de confronto direto, jogo de seis pontos – destacou o comandante.

Vanderlei Luxemburgo comanda a equipe no clássico (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Revelado pelo professor Vanderlei Luxemburgo, Talles Magno deixou sua marca na vitória no clássico. O treinador revelou como foi o processo de captação do camisa 11 na base, disse que gostaria que ele arriscasse um pouco mais durante a partida e destacou o potencial de evolução da joia vascaína.

– O Talles é um jogador que botei para jogar muito jovem, estava na reserva dos juniores. Ele estava meio que largado. Na primeira atuação comigo, dei um esporro nele porque ele vinha massageando a mão. Saiu correndo do departamento médico, e eu disse que não queria vê-lo massageando mão. Acho que em algumas bolas ele poderia arriscar um pouco mais, puxar para dentro como puxou em algumas jogadas com o Cano. Ele tem potencial para evoluir ainda mais comigo – disse Luxemburgo.

Confira outros trechos da entrevista:

Pênalti batido por Pikachu

– Cano sofreu o pênalti (na verdade quem sofreu foi Pikachu) e cedeu ao Pikachu porque tinha um ano que Pikachu não botava a bola para dentro. Achei legal o Cano que é o nosso artilheiro, entender e dar para o Pikachu ganhar no emocional.

Importância de Henrique

– O pessoal quer que o Henrique faça o gol. Lateral a primeira função é defender, a segunda é apoiar e a terceira é resolver na linha de fundo. Disse para ele botar um algodão no ouvido. Bruno e Henrique deram condição de Castan ficar melhor posicionado em campo.

Sem pensar na Sul-Americana

– Não posso pensar em Sul-Americana se ainda estou na confusão, vou pensar passo a passo, jogando cada jogo decisivo. Com respeito ao aspecto físico, não vamos treinar o time fisicamente. Vai ser 20% da parte física, e 40 e 40 da parte técnica e tática. Em vez de o jogador entrar preparado, vai entrar despreparado.

– Jogamos em Goiânia, voltamos, foram para casa, ontem almoçamos na concentração. É alimentação e descanso. É o pijama training. É treinamento reduzido, e alimentação certa. Nada de trabalho de duas horas.

Melhora da zaga

– Tínhamos 36 gols tomados e 29 marcados. Tínhamos que procurar melhorar a parte ofensiva. Em Goiânia não fizemos, hoje fizemos três e não levamos. O menino Ricardo operou apendicite, e o Werley se jogar simples, se não achar que é o melhor zagueiro do mundo, joga bem. Depois botei o Jadson para ficar com a sobra. Ali começamos a ganhar o jogo.

Entrada de Caio Lopes

– Só tenho um volante, que é o Bruno, e eu o trouxe para isso. Ele só olha para zagueiro, mas é um jogador que vai crescer no Vasco da Gama. Tem potencial para crescer.

Benítez entra em que função?

– Ele vem de lesão de panturrilha, mas importante é que o jogador vai estar aqui, mas vamos prepará-lo para a estreia contra o Coritiba. Vamos decidir se vai começar jogando ou não. Isso vamos decidir durante a semana.

Confiança dada ao elenco

– Você com a confiança lá embaixo não consegue produzir, tenho dito para eles que eles têm talentos para estar no Vasco da Gama. Tem que ter leveza, alegria. Talles, você tirou um jogador do Fortaleza porque você deu lambreta, e ele te deu um chute na cabeça. A confiança é fundamental num atleta. O elenco está á disposição do treinador

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo