Luxemburgo valoriza bravura do grupo em Goiânia: “Honraram a camisa do Vasco”

sexta-feira, 08/01/2021

Na estreia do técnico Vanderlei Luxemburgo, o Vasco da Gama foi até Goiânia, empatou sem gols com o Atlético-GO e somou um ponto importante para a sequência do Campeonato Brasileiro. O resultado obtido na noite da última quinta-feira (07/01) fez o Cruzmaltino ultrapassar o Bahia e deixar o incômodo Z4 do torneio nacional.

Luxa orienta jogadores em Goiânia- Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Ao término da partida, em entrevista coletiva, o experiente comandante cruzmaltino exaltou a bravura do time diante do Dragão. Na avaliação de Vanderlei Luxemburgo, os jogadores honraram a camisa vascaína no Estádio Antônio Accioly e deram orgulho aos torcedores.

– Vocês viram o Vasco como tem de ser. O jogador tem de entender o que significa jogar no Vasco. Falei que hoje era a oportunidade de subir na tabela. Vamos recuperar com calma. O importante é o sentimento: o torcedor pode enaltecer o que viu na rede social. Os torcedores viram um time aguerrido, mas houve erros. É normal. Mostramos para o torcedor que vamos honrar a camisa do clube. Se não honrar, eu chego duro nele – declarou o treinador.

Quando perguntado sobre o rendimento do time, o treinador não poupou elogios para a atuação na etapa inicial, porém reconheceu a queda de rendimento no segundo tempo. Esse fato, porém, não preocupa Vanderlei Luxemburgo. O comandante acredita no crescimento do desempenho da equipe.

– Eu sabia que a equipe poderia ter uma queda de rendimento no segundo tempo. Trabalhamos o time técnica e taticamente para inibir a transição rápida deles. Fizemos marcação adiantada, especialmente no tiro de meta. Com a nossa transição defensiva, dominamos. Finalizamos nove vezes. No segundo tempo, era esperado cair. Fiz as trocas, e aí eles estavam forçando muito em cima do Henrique. Temos de melhorar a nossa intensidade. Não só quem sai jogando, mas quem entra também. Estivemos perto do resultado, mas eles tiveram as melhores chances – afirmou Luxemburgo, enaltecendo na sequência as atuações de Juninho e Talles.

– Falei para o Talles que ele tinha de driblar, ele é diferente. Ele já começou a fazer uma graça, eu gostei. O Juninho tem personalidade, é um grande jogador, pois ele limpa as jogadas, quebra as linhas e tem bom passe. Tem potencial grande – finalizou o experiente comandante.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo