Maurício Barbieri fala sobre o início de trabalho no Vasco

sexta-feira, 06/01/2023

Por: João Pedro Isidro, CT Moacyr Barbosa

Técnico do Vasco desde dezembro do ano passado, Maurício Barbieri fez uma avaliação sobre suas primeiras semanas trabalhando no CT Moacyr Barbosa, onde o Vasco da Gama se prepara para o Campeonato Carioca e para dois amistosos nos Estados Unidos.

– Tem sido um início de trabalho com algumas chegadas e algumas saídas, então, a gente está num processo de reformulação e de construção do elenco. E paralelo a isso, tentando construir uma ideia, uma forma de jogar com aqueles atletas que já estavam na temporada passada e a medida que os jogadores novos vão chegando, a gente vai incluindo eles no processo. É um desafio importante, muitas vezes a gente consegue avançar em alguns conteúdos, e toda vez que a chega um elemento novo, a gente precisa tentar inserir, dar uns passos para trás para que todos estejam no mesmo estágio. Acho que isso ainda vai levar algumas semanas, conforme os jogadores novos forem chegando – disse o treinador.

Elogiado por muitos atletas, o técnico cruzmaltino comentou sobre suas características e o que espera dos jogadores para que o trabalho evolua.

– É uma forma de interagir, de atuar, que é característica minha e acho que isso se encaixa bem nesse momento em que a gente está construindo uma forma de jogar. Eu preciso que os jogadores passem a se entender, se conhecer dentro de campo, dentro de normas de atuação que ajudem todo mundo a serem fortes coletivamente. A gente trabalha durante a semana parando, corrigindo, orientando e repetindo quantas vezes for necessária e a ideia dos jogos-treino é colocar isso em prática, uma vez que o jogo-treino não para e as coisas fluem como normalmente acontecem nas partidas. Então nesse momento a gente está focando nessa constância de desempenho – declarou.

Foto: Daniel Ramalho/Vasco.com.br

Com a chegada de novos atletas, Barbieri ressaltou os pontos importantes para que todos os atletas estejam na mesma página e revelou a importância dos jogos-treinos feitos nos finais de cada semana de preparação.

– A gente tem alguns desafios. O primeiro é tentar equiparar os jogadores no aspecto físico. Alguns treinam há três semanas, outros há três dias. Por isso nem todos estão participando dos jogos-treinos, a gente está fazendo uma avaliação para ser bastante seguro e criterioso e não correr o risco de lesões. E o desafio maior é, além de que esses jogadores entendam a forma de jogar, que vai ser do Vasco, independente de quem esteja vestindo a camisa e conseguir fazer com que eles se entendam dentro de campo – disse Mauricio.

O treinador entende que oscilação no início do trabalho é comum, mas que o objetivo da equipe tem que ser de aumentar o rendimento e jogar um bom futebol, o que dará mais chances de resultado ao Vasco.

– Neste período de preparação a gente precisa ter cuidado, a tendência é que a oscilação seja maior, por ser um início de trabalho. A ideia é que todos nós: comissão, clube e a torcida consiga controlar a expectativa e nestas primeiras semanas se ater muito mais ao rendimento do que propriamente aos resultados. A ideia é essa, tentar estabilizar o rendimento, tentar sempre jogar bem, ser impositivo, ser superior aos adversários. Na maioria das vezes a gente entende que isso vai se traduzir em resultados positivos, em algum momento eventualmente não vai, e a gente não pode perder a cabeça e se desesperar. Temos que entender que é um processo, leva um tempo. São alguns primeiros meses e jogos pra gente construir uma base sólida, pra que a gente consiga efetivamente daqui a um tempo, ter uma equipe mais pronta para os desafios que vem pela frente – finalizou.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo