Nos 80 anos de Pelé, Site Oficial do Vasco lembra relação do Rei com o Gigante

sexta-feira, 23/10/2020

Por: Matheus Babo, São Januário

O Rei do Futebol completa 80 anos nesta sexta-feira (23/10) e o Site Oficial do Vasco não poderia deixar de homenagear um dos mais ilustres torcedores do Cruzmaltino. Pelé fez história com a camisa do Santos e da Seleção Brasileira, mas ainda com 16 anos, defendeu o Gigante da Colina num combinado entre o Vasco e o alvinegro praiano para disputa de alguns amistosos contra equipes do Brasil e da Europa.

Foto: Arte/Vasco

– Em Bauru, a maioria dos meus amigos e dos amigos do meu pai eram Corinthians. Não sei porque eu comecei a ser Vasco, gostar do Vasco. Eu sou vascaíno, para quem não se lembra, eu sou ainda. Todos me pertubavam e eu falava: “tenho direito de escolher meu time”. Meu time era o Santos, eu joguei no Santos, mas tenho o direito de escolher. Nunca deixei de ter carinho pelo Vasco. Naquela época, meu pai jogava com um jogador que se chamava Marinho, que era centroavante, e ele foi para o Vasco e eu era mais jovem. Por coincidência, acabei jogando pelo Vasco, num campeonato. Só Deus explica uma coisa dessa. Tanto time em São Paulo que eu poderia ter jogado, mas foi aqui no Vasco. Nunca deixei de ter carinho pelo clube – contou Pelé, no início deste ano, em entrevista ao Canal Pilhado, do Youtube.

Pelé ainda falou que se pudesse escolher um clube para atuar, teria escolhido o Gigante da Colina, que foi quem lhe abriu as portas em 1957. Os principais jogadores de Vasco e Santos estavam em excursão e as diretorias chegaram a um acordo para montar um combinado entre os dois elencos, utilizando atletas mais jovens. A camisa utilizada foi a do Cruzmaltino e aquele garoto de 16 anos fez seus primeiros jogos no Maracanã, brilhando na goleada por 6 a 1 sobre o Belenenses (POR), com três gols. Aquela equipe ainda empataria com o Dínamo Zagreb (CRO), Flamengo e São Paulo, todos por 1 a 1, com gols do Rei nos confrontos.

– Se eu tivesse que escolher um clube para ter jogado, eu escolheria o meu Vasco. Mas eu defendi o Vasco, mesmo que por poucos jogos. Foi o time que me deu essa oportunidade. Foi lá que eu me tornei conhecido no mundo todo, foi um combinado Santos e Vasco e jogamos com a camisa do Vasco. Para os mais jovens: eu era do Santos e teve um acordo, porque os dois clubes estavam em excursão e eles fizeram uma união, utilizaram os jogadores mais jovens, que estavam começando. Ganhamos o torneio, jogando no Maracanã. De vez em quando eu sofro ainda torcendo pelo Vasco. Assistindo aos jogos – explica o maior craque da história do futebol.

Por conta desse desempenho, uma semana depois, Pelé já estava convocado e vestindo a camisa da Seleção Brasileira, em uma partida contra a Argentina. Impressionado com as atuações do menino, Antônio Soares Calçada teria tentando comprar o jogador, porém, Modesto Roma, presidente do Santos, teria liberado apenas o empréstimo, o que não agradou aos dirigentes cariocas. Em 1958, Pelé foi a Copa do Mundo e o resto é história.

Combinado Vasco-Santos: Wagner, Paulinho, Bellini e Ivan; Urubatão e Brauner; Iedo, Pelé, Álvaro, Jair Rosa Pinto e Pepe. – Foto: Reprodução Twitter

A primeira vez que Pelé abriu o coração e se declarou vascaíno em uma entrevista foi em 1977. Durante o programa Vox Populi, da TV Cultura, o Rei confessou a paixão pelo clube com a História Mais Bonita do Futebol:

– O clube do meu coração sempre foi o Vasco. Eu gostei muito do Vasco. Gosto muito do Vasco

PAIXÃO PELO VASCO

A relação de Pelé com o Vasco começou ainda muito jovem. Alguns relatos em documentários contam que essa paixão veio através do maior ídolo do eterno camisa 10: seu Dondinho. Pai do Rei do Futebol, ele também foi jogador e defendeu o Vasco de São Lourenço, cidade de Minas Gerais. Foi lá, vendo aquele time com camisa preta, faixa diagonal e a Cruz de Malta no peito que o então garoto Edson Arantes do Nascimento se apaixonou pelo futebol e pelo Gigante da Colina.

O apelido famoso no mundo inteiro veio nesta época. Fã do goleiro Bilé, que defendia o Vasco de São Lourenço, e o pequeno Edson tentava falar o nome dele a cada defesa que fazia nas peladas. No entanto, o B era trocado pelo P e o Pelé pegou. No início, o camisa 10 não gostava. E quer jeito melhor de um apelido pegar?

MILÉSIMO CONTRA O VASCO

Em 1969, mais de dez anos após estrear no Maracanã com a camisa do Vasco através do combinado da época, Pelé voltou ao Maior do Mundo para atingir uma marca histórica. Desta vez, contra o time do seu coração. Foi de pênalti, que ainda com 29 anos, o craque do Santos superou o goleiro argentino Andrada e marcou, diante do Vasco, o milésimo gol da sua carreira.

Pelé, pelo Santos, marcou o milésimo contra o Vasco – Foto: AFP

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo