Os 98 anos da Resposta Histórica

quinta-feira, 07/04/2022

Por: Assessoria de Imprensa, São Januário

O dia 7 de abril é uma daquelas datas que trazem orgulho a todo e qualquer vascaíno. Em 1924, o Club de Regatas Vasco da Gama escreveu um dos mais nobres capítulos da sua história, ao enviar para a AMEA a Resposta Histórica, na qual o clube se recusa a desfiliar atletas negros, operários e analfabetos de seu plantel, o que foi estabelecido como condição para que pudesse participar das competições de futebol da época, após o título invicto conquistado pelos Camisas Negras em 1923.

“São esses doze jogadores, jovens, quasi todos brasileiros, no começo de sua carreira, e o acto publico que os pode macular, nunca será praticado com a solidariedade dos que dirigem a casa que os acolheu, nem sob o pavilhão que elles com tanta galhardia cobriram de glorias.”

A luta contra o racismo e em favor de uma sociedade mais justa é um dever de associações esportivas, sobretudo aquelas com milhões de torcedores, como os grandes clubes de futebol. O Vasco da Gama se orgulha de ser um pioneiro nesta luta e um ativo defensor de seus ideais, que não esmoreceram com o passar dos anos.

A data de hoje é festiva não apenas para o Vasco, mas para toda a sociedade brasileira, que tem em quem se espelhar para lutar as lutas justas; e para todo o esporte brasileiro, que encontra em si as ferramentas para promover as mudanças que queremos ver no Brasil.

O movimento iniciado pelo clube a quase um século ainda não chegou ao fim. E é por isso que relembrar a data de 7 de abril de 1924 se torna tão fundamental.

Vasco da Gama
A História Mais Bonita do Futebol

Carta Resposta Histórica 1924 (Foto: Centro de Memórias/ Vasco)

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo