Ramon Menezes valoriza ponto conquistado fora de casa e ressalta força do grupo

quarta-feira, 02/09/2020

O técnico Ramon Menezes saiu satisfeito com a atuação do Vasco no empate em 2 a 2 com o Santos na Vila Belmiro. O treinador valorizou o ponto conquistado fora de casa, ressaltando a dificuldade de enfrentar a equipe paulista dentro de seus domínios e lembrou que os próximos compromissos do Cruzmaltino serão no Rio de Janeiro.

Ramon Menezes orienta o time na Vila Belmiro (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

– Esperávamos a dificuldade que teve o jogo. O Santos é muito forte dentro da Vila. O Vasco jogou mais uma vez como Vasco da Gama. Os atletas que entraram em campo desempenharam bem tudo que foi passado. Saio muito feliz. É lógico que, se tratando de Vasco, queremos vencer todos os jogos. Mas saio feliz. É a força do grupo. Estão todos de parabéns. Agora é descansar, porque teremos três jogos no Rio de Janeiro – disse o treinador, antes de completar falando sobre a dificuldades de contar com tantos desfalques:

– Ponto muito importante. Já imaginávamos que seria um jogo complicado. Nós, com todos os problemas, desfalques, mostramos a força do grupo. Estão todos entendendo bem o que estamos fazendo, nosso trabalho, mostrando a força. Quem teve a chance de entrar deu o seu melhor. O Castan não participou dos amistosos na preparação para o Brasileirão, ele estava com um desconforto muscular, nós preferimos que ele recuperasse totalmente. Veio jogando todos os jogos, numa batida muito forte. É a referência pro clube, pra torcida, pro grupo, um líder, um cara muito importante e dentro de campo vem fazendo tudo o que se espera dele. Não tivemos o Talles, Bruno Gomes, Vinícius, Werley, Ricardo… pra você ver. Com todos esses desfalques eu só tenho que elogiar a força do grupo. Saio muito satisfeito e acho que a torcida ficou satisfeito com tudo que foi demonstrado aqui e desde o primeiro jogo nosso lá no Campeonato Carioca.

CONFIRA OUTROS TRECHOS DA COLETIVA

MARCELO E YGOR
Nós tivemos um resultado negativo e treinamos na segunda-feira muito forte. Deu gosto de ver. O jogador tem que estar preparado. A oportunidade vem e temos que mostrar o que se espera. Eles foram contratados, é uma adaptação. Tem que ter uma mudança de comportamento. O Ygor, quando ele chegou, a própria pandemia tirou a força física. Ele precisa estar muito bem fisicamente para botar velocidade e o que ele fez contra a gente pelo Madureira. Vem trabalhando muito. Hoje começou jogando e tem toda a nossa confiança, do grupo. A mesma coisa o Marcelo. Nos ajudou muito, como o Miranda, que teve a oportunidade de jogar na posição dele. Um jovem, oriundo da base. Poderia ter jogado o Ulisses. O grupo é dessa maneira. Perdemos um jogador essencial, importantíssimo que é o Henrique. Vai abrir vaga. O ponto forte é esse, todos estão preparados. É o Vasco acima de tudo. Tenho certeza que o torcedor está muito feliz com a entrega desses atletas.
TIME CONSCIENTE E OBJETIVO NO BRASILEIRÃO
Acho que é o trabalho. A entrega. A disciplina. O entendimento de tudo aquilo que estamos treinando. O trabalho não está sendo feito para onze jogadores, mas para todos os atletas. Posso dar um exemplo do Lucas Santos, que quando tiver a oportunidade, ele sabe o que vai fazer, o posicionamento. É a entrega, o entendimento. Nós, enquanto comissão, tentamos mostrar o caminho. No fim, são eles. A vontade, a força de vestir essa camisa e representar o torcedor que cobra muito e está acostumado com a história fantástica que tem o Vasco é muito legal. Sempre falo dos atletas que são referências, como o Castan, Fernando Miguel, Bastos, Yago Pikachu que fez um partidaço hoje. São eles que chamam a responsabilidade. Vejo a gente em construção, mas uma construção bem adiantada e nossa projeção é fazer um grande Brasileiro. O nosso objetivo, a projeção é muito interna.

Uso do VAR
Eu acho que nós temos grandes árbitros que estão tendo pouca participação no jogo. Se não fosse o VAR também, o primeiro gol o juiz não daria. A nossa preocupação tem que ser em jogar futebol. É isso que passo para os meus atletas. Prefiro pensar mais nisso.
ATAQUE AJUDANDO NA MARCAÇÃO
Todo mundo tem esse entendimento que tem que ajudar. A sua organização defensiva começa lá na frente. Estou muito feliz com a entrega de todos. A ajuda que o Cano está nos dando é fantástica. E nem por causa disso está deixando de fazer os gols. Contra o São Paulo, teve entrega fantástica e fez dois gols.
JUNINHO
Juninho é de meio-campo e faz uma função que consegue fazer, tanto na fase ofensiva quanto defensiva. Nos ajudou muito.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo