Revelações da natação do Vasco: Murillo e Pedro

sexta-feira, 23/10/2020

Por: Bruna Teixeira e Breno Prata, São Januário.

Nas águas do Parque Aquático de São Januário, o Vasco forma diversos atletas. Seguindo a série de apresentação dos nadadores Cruzmaltinos, nesta sexta-feira (23/10), o Site Oficial mostra a história de duas jovens promessas das piscinas. Murillo Dantas tem nove anos e começou a praticar o esporte muito cedo. Começou na modalidade por questão de saúde e foi ali que o jovem se encontrou desde os seis anos de idade. Ele teve a oportunidade de ser federado no futebol, mas se encontrou mesmo nas água e decidiu seguir com a natação e com o sonho de ser profissional na modalidade.

– Eu nadava no clube do Maracanã e o técnico do Vasco queria me puxar para nadar em São Januário. Quando eu aceitei o convite me colocaram para começar na primeira piscina. Como eu já sabia nadar fui para o poço e em uma semana, eu já estava nadando na piscina olímpica. Depois surgiu o convite para eu ser federado, em seguida vieram as competições e as medalhas foram consequências de muito esforço – conta Murilo.

Murillo no Parque Aquático de São Januário (Foto: Bruna Teixeira/ Vasco) 

O nadador sabe que teve uma boa orientação, por isso ele destaca a importância de ter técnicos e uma equipe comprometida somando o time dos nadadores cruzmaltinos:

– Vários técnicos aqui dentro do clube me ensinaram tudo que eu sei. Sou bastante grato a eles. O treinador Wiliam, Rodrigo, Lucas e outros professores que contribuíram com a minha formação foram muito especiais na minha caminhada. Eu também conheci muitas pessoas que passaram por aqui e que me marcaram positivamente. Sei que saíram deixando saudades para gente e para o clube.

O vascaíno garante que o amor pelo Vasco veio do berço. Contrariando o time da mãe, Murillo decidiu seguir a Cruz de Malta. Desde 2017 ele não é apenas torcedor, hoje ele conquistou a honra de ser atleta federado do time do coração e subir no pódio defendendo a camisa do Vasco da Gama. Murilo conta sobre a relação que ele tem o Vasco:

– Desde que eu nasci sou vascaíno. Minha mãe queria que eu fosse Botafogo, mas o meu pai não. Eu virei Vasco, sou Vasco até hoje e não vou mudar de time nunca. Venho para São Januário desde quando eu tinha um ano de idade. Já vim para alguns jogos e amo toda energia que a gente encontra aqui.

Com sonhos de bater recordes, ser campeão brasileiro e participar das Olimpíadas, os atletas Murillo Dantas e Pedro Padro se encontram na natação do Vasco e nas histórias de vida bastante parecidas. Da mesma forma que Murilo, o médico pediu para o Pedro praticar natação na intenção de melhorar a alergia dele. Pedro conta como surgiu a paixão pelo esporte e fala sobre a evolução dele dentro da modalidade:

Pedro Prado coleciona medalhas com a camisa do Vasco (Foto: Breno Prata/Vasco)

– Eu não sabia nadar, então comecei a brincar na piscina de um clube que eu era sócio. Na escolinha do Vasco eu evolui com o professor William. Foi com ele que eu aprendi a maior parte das coisas que eu sei. Comecei no Vasco há três anos. Agora eu sou federado, evolui demais no meu estilo, que é o peito, e preciso ir me aperfeiçoando cada vez mais.

Como todo atleta tem o seu momento marcante dentro do esporte, com o Pedro não poderia ser diferente. O jovem, de nove anos, que nada pelo Vasco desde 2017, finaliza o bate-papo relembrando a competição mais especial para ele:

– Teve uma competição aqui no Vasco que a gente estava perdendo o revezamento. Estávamos atrasados três rodadas. Na minha vez eu consegui empatar duas rodadas e bati com uma das melhores nadadoras, Maria Eduarda, aqui do Vasco. Ela conseguiu virar e fazer a gente ganhar. Vibramos muito.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo