Seleção Brasileira de Beach Soccer se prepara para eliminatórias com seis vascaínos convocados

sábado, 08/05/2021

Por: João Pedro Isidro, Copacabana

A seleção brasileira de Beach Soccer está se preparando no CT do Vasco, em Copacabana, para as eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo, que acontece entre os dias 19 e 29 de agosto deste ano, na Rússia. Seis jogadores do Vasco da Gama fazem parte do elenco que vai brigar por uma vaga na mundial, são eles: Bejinha, Bokinha, Catarino, Jordan, Lucão e Mauricinho, além do técnico cruzmaltino Fabinho, que é preparador físico na seleção brasileira. A competição que vai classificar três países do continente para o torneio mais importante da modalidade acontecerá de 26 de junho a 4 de julho.

Lucão, Catarino, Bokinha, Bejinha, Mauricinho e Jordan (Foto: João Pedro Isidro/Vasco)

Filho do craque Benjamim, quatro vezes campeão do mundo, Benjamim Júnior, ou Bejinha, falou sobre a expectativa para a primeira Copa do Mundo e a inevitável comparação com o pai.

– A gente aqui já se conhece, só de ter seis jogadores do Vasco, você já vê que a gente está bem entrosado. E conhecemos os jogadores dos outros clubes também há bastante tempo. A expectativa é grande e a cobrança é alta, o Brasil é cinco vezes campeão do mundo. É a minha primeira eliminatória para a minha primeira Copa do Mundo, então se Deus quiser, vamos coroar esse trabalho com o título. O meu pai é o meu espelho, só de ter o mesmo nome, tem algumas pessoas que já me olham diferente. Então hoje em dia eu não tenho como falar, as pessoas dizem “ah, porque é filho do Benjamim”, então minha resposta é dentro de quadra e quando a bola rola eles percebem que não é porque sou filho do Benjamim, mas sonho em conquistar os títulos que ele conquistou e agora estou tendo essa oportunidade.

Vestindo a amarelinha desde 2013 e campeão do mundo em 2017, Catarino é cria da comunidade Chapéu Mangueira e participou dos principais títulos do Vasco nos últimos anos e agora sonha em trazer o hexa para o Brasil:

– É como se fosse a minha primeira convocação, é sempre uma honra vestir essa camisa e poder ter essa oportunidade de nos representar. Não apenas a nós, mas o mundo todo, não represento apenas a minha comunidade, represento as comunidades. – disse Catarino, que também contou sobre a troca que tem com a torcida vascaína nas redes sociais e participou da transmissão do Pay-Per-Vasco no jogo contra o Bangu.

– Tudo começou na pandemia, com a parada dos treinos, busquei uma forma de poder estar ali interagindo com os torcedores, até porque eles são especiais. Todo país em que nós vamos, a gente encontra um vascaíno, então eu só quero poder retribuir o carinho. – concluiu o jogador.

Catarino treina com a seleção brasileira (Foto: João Pedro Isidro/Vasco)

Camisa 10, revelado nas categorias de base do Gigante da Colina e eleito melhor jogador do mundo em 2017, Mauricinho também falou sobre a preparação para mais uma Copa do Mundo:

– Sabemos da responsabilidade que é vestir a camisa, tanto da seleção quanto a do Vasco. Se o professor Gilberto optar por nosso sexteto do Vasco, a gente vai aproveitar a oportunidade da melhor maneira. Como o Catarino falou, nós somos crias de comunidade, acho que é o sonho de todo garoto jogar futebol e jogar na seleção, e eu como vascaíno, representar o Vasco e representar a seleção brasileira, só posso agradecer a Deus e espero retribuir dentro das quadras.

Melhor do mundo em 2017, Mauricinho sonha com mais um título mundial (Foto: João Pedro Isidro/Vasco)

Vale lembrar que o Vasco é o atual tricampeão brasileiro (2017, 2019 e 2020), tricampeão da Libertadores da América (2016, 2017 e 2019) e considerado por muitos, o melhor time de Beach Soccer do planeta.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo