Em 01/07/2020 às 14h09


Fellipe Bastos pede foco no último jogo da Taça Rio e sonha com título carioca

Por: Matheus Babo

São Januário, Rio de Janeiro

A paz de Bastos! O convidado da Vasco TV nesta terça-feira (30/6) foi o volante Fellipe Bastos. No bate-papo, o jogador brincou, respondeu a perguntas dos jornalistas que acompanham o dia a dia do Gigante da Colina, mandou recado para a torcida e também falou sério. Ele, que foi titular e teve boa atuação na vitória por 3 a 1 sobre o Macaé, no último domingo, analisou o desempenho do time e ressaltou que o time precisa cumprir seu papel diante do Madureira, quinta-feira (3/7). E caso a classificação venha, a esperança no título do Carioca voltará com tudo.

image
Fellipe Bastos durante treinamento do time em São Januário (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

- A gente tem que fazer o nosso papel, a gente está evoluindo. É o começo de um trabalho, a gente quer classificar. Primeiramente, temos que focar no nosso trabalho. Não adianta o Resende ganhar lá e a gente perder o nosso jogo. Precisamos trabalhar mais do que no jogo do Macaé. Precisamos fazer um bom jogo, e com boa vitória porque sabemos que o saldo de gols pode fazer diferença para gente. Para que a gente consiga vitória e o Deuses de futebol botem a gente na semifinal. A gente está com muita fome. Primeiro precisamos fazer nosso trabalho com o Madureira, torcer para classificar. E se deixar chegar, com a vontade que a gente tem, vai ser difícil (segurar).

No jogo diante do Macaé, Fellipe Bastos teve participação direta no terceiro gol do atacante Germán Cano. O agora camisa 8 chegou dividindo a bola com Benítez dentro da área e ao invés do chute, optou pelo passe para o camisa 14, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. Para a Vasco TV, o jogador explicou como foi a jogada:


- No lance do gol vi o Cano em melhor posição, achei que ia entrar desequilibrado na bola. Vibrei bastante mesmo como se fosse gol. Era o que eu estava esperando. Todo mundo quer fazer gol. Foi um lance importante. Foi também comemoração por voltar a jogar depois de seis meses, foi uma reestreia para mim.

Outras respostas de Fellipe Bastos:

Posicionamento
É uma coisa que o Ramon tem pedido para mim, Pikachu e Vinícius. Ele pediu para gente se movimentar do lado direito, até porque é nosso lado de mais velocidade, infiltração. O Pikachu tem entrado mais pra dar o passe para mim e Andrey.

Briga por titularidade
Ramon tem uma dor de cabeça boa. O time tem jogadores qualidade. Eu sei o que preciso fazer dentro dos jogos treinamentos, o Vasco tem 25 jogadores com condição de serem titulares. Nos treinamentos a gente precisa mostrar para ele que é capaz de ser titular.

Críticas da torcida
O torcedor é paixão. Estou no clube saindo e vindo, o torcedor sabe o que posso render. Crítica é normal. Críticas positivas eu recebo, tento melhorar meu futebol. Tem críticas que depreciam e deixam para baixo, é uma coisa que não vejo e não levo adiante porque não vai me acrescentar. Também sou torcerdor do Vasco. Sei que eles ficam "putos" quando erro. E têm razão. Eu também fico chateado quando não jogo bem.

Comente essa notícia

Videos

Rolé no Rio - Leandro Castan

desenvolvido por: