Sub-20 vence o Santos e segue 100% no Campeonato Brasileiro

sábado, 18/06/2022

O Sub-20 venceu o Santos por 2 a 0, na manhã deste sábado (18/6), no Estádio Nivaldo Pereira, e se manteve 100% no Campeonato Brasileiro. Os gols vascaínos foram marcados por Caio Dantas e Juan. O próximo compromisso dos Meninos da Colina será na quarta-feira (22/6), diante do Botafogo, no CEFAT, pela ida das semifinais do Campeonato Carioca.

Foto: Betinho Jr e Betinho Martins

O JOGO

A primeira boa chegada do Vasco foi aos 3, com Barros roubando a bola no meio e ligando em Caio Dantas, que arrancou e tentou o passe para Tavares, mas foi travado. Aos 8, Tavares recebeu na frente, deu o tapa driblando o goleiro e tentou o chute de canhota, mas o zagueiro travou e evitou o gol. Aos 9, Paixão recebeu na área, travou e tocou para Caio Dantas encher o pé: VASCO 1 a 0.

O Gigante ainda chegou com perigo em mais duas oportunidades antes dos 30 minutos, com Paixão e Caio Dantas. Aos 39, Paixão foi lançado em profundidade, mas o goleiro antecipou bem e afastou.

A primeira boa chegada da segunda etapa foi antes do primeiro minuto, com Paixão arrancando e sendo travado pela defesa no ataque. O jogo era bom e aos 4, Julião recebeu na cara do goleiro, mas estava impedido. Aos 10, Marlon Santos tentou lançamento para Hygor na direita, mas exagerou na força. Aos 21, o Vasco chegou tocando a bola e Eguinaldo parou para Kauã Moura tentar o chute colocado e parar no goleiro.

Aos 23, Kaylan pegou em cheio a bola que sobrou do escanteio e quase ampliou. Um minuto depois, Caio Dantas deu lindo passe para Eguinaldo, que invadiu a área e tocou para Juan ampliar: VASCO 2 a 0. Aos 30, Eguinaldo tentou a finalização da entrada da área, mas mandou pra fora. Aos 39, Juan arrancou pela direita e tentou o passe para Eguinaldo, mas a defesa afastou antes.

Escalação do Vasco: Pablo, Hygor (Juan), Pimentel, Pedro Lucas, Kaylan e Kauã Lucas (Julião); Rodrigo (Kauã Moura), Barros (Marlon Santos) e Caio Dantas; Paixão (Eguinaldo) e Tavares – Técnico: Igor Guerra

 

 

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo