Thalles e Nenê marcam no fim, e Vasco vence o Tigres pelo Carioca

sábado, 20/02/2016

Pela quinta rodada do Campeonato Carioca de 2016, o Vasco venceu o seu quinto jogo seguido e alcançou 15 pontos no grupo A do Estadual. Em caso de tropeços de Resende e Cabofriense neste domingo (21/02), os vascaínos já confirmam a presença na próxima fase da competição. Thalles, de cabeça, e Nenê, após aproveitar falha do goleiro Renan, marcaram no fim e deram a vitória ao clube sobre o Tigres, por 2 a 0, no estádio de Los Larios, em Xerém. O próximo jogo do Gigante da Colina será contra o Friburguense, dia 25, às 19h, em São Januário.

Nenê marcou o segundo gol do Vasco – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O JOGO

Com a proposta de se defender e contra-atacar, o Tigres do Brasil realizou uma forte marcação sobre os meias Nenê e Andrezinho durante toda a primeira etapa. Muito acionado, o camisa 10 foi o primeiro a arriscar pelo lado vascaíno. Aos 12 minutos, o armador chutou da entrada da área e viu a bola passar por cima do gol de Renan. A pressão do Gigante da Colina foi aumentando no decorrer da partida. Antes da parada técnica, foi a vez do lateral-direito Madson correr até a linha de fundo e cruzar para Riascos, que tentou um voleio e a bola acabou sobrando para Nenê. O meia chutou para fora.

O Vasco foi melhorando e encurralando o time da Baixada Fluminense. Aos 35 minutos, o zagueiro Rafael Vaz apareceu bem no ataque e conseguiu uma linda jogada pela esquerda. O defensor cruzou nos pés de Riascos, que finalizou forte para fora. 
Nos últimos três minutos da primeira etapa houve uma verdadeira blitz vascaína. O primeiro lance aconteceu nos pés de Riascos e Andrezinho. Ambos tentaram finalizar, mas a zaga do Tigres afastou. Na sequência, o zagueiro Rafael Vaz, novamente se arriscou no ataque e chutou de fora da área. Renan defendeu e também não deixou Riascos marcar no rebote. Tigres do Brasil 0x0 Vasco.

Yago Pikachu entrou no segundo tempo e deu mais movimentação a equipe – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Vasco fura o bloqueio do Tigres e consegue mais uma vitória

No segundo tempo, o Cruzmaltino voltou com tudo. Logo no primeiro lance, Nenê cobra um escanteio na cabeça de Riascos, que manda na trave e a zaga do Tigres afasta em cima da linha. 

O técnico Jorginho colocou Thalles e Yago Pikachu nos lugares de Riascos e Julio dos Santos, respectivamente. Com as mudanças, o time ficou mais rápido.  A equipe apostou em jogadas pelas laterais e foi premiada. Com um a mais em campo, após o zagueiro Sergio Raphael ser expulso aos 16 minutos, as finalizações aumentaram e o gol aconteceu. Aos 35 minutos, Madson recebe de Yago Pikachu coloca na cabeça de Thalles, que sobe alto para desviar para o fundo da rede. Tigres 0x1 Vasco. Na sequência, o goleiro Renan, que deu trabalho ao Gigante da Colina durante todo jogo, deu bobeira dentro da área. Após um chutão do zagueiro para o alto, o camisa 1 do adversário tentou agarrar, mas a bola acabou caindo nos pés de Nenê, que não perdoou.  Tigres 0x2 Vasco. Com um cartão amarelo recebido neste partida, o camisa 10 é desfalque do Vasco diante  do Friburguense. 

Thalles brilhou mais uma vez pelo Vasco – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

FICHA TÉCNICA – TIGRES DO BRASIL 0X2 VASCO

Local: Los Larios – Xerém, Duque de Caxias – RJ
Data: 20 de fevereiro de 2016
Horário: 19h30 (Horário de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda
Assistentes: Eduardo de Souza Couto e Gilberto Stina Pereira  
Cartão Amarelo: Gabriel, Sérgio Raphael, Alex Santos, Fabiano, Rodrigo Sam e Renan (Tigres) / Rafael Vaz, Andrezinho e Nenê (Vasco)
Cartão Vermelho: Sérgio Raphael
Gols: Thalles (35’/2ºT) e Nenê (38’/2ºT)
Tigres do Brasil: Renan; Alex Santos, Rodrigo Sam, Sérgio Raphael e Lucão; Gabriel (Lucas Dantas), Léo Bartholo, Fabiano, Giovanni (Lucas Willian) e Kelvy (Oliveira); Fabiano Oliveira. Técnico: Marcelo Cabo
VASCO: Martín Silva; Madson, Luan, Rafael Vaz e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos (Yago Pikachu), Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique (Eder Luis) e Riascos (Thalles). Técnico: Jorginho. 

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo