#TimeDaVirada: Medel destaca objetivo alcançado em 2023

quinta-feira, 14/12/2023

Contratado em julho de 2023, o chileno Gary Medel chegou ao Vasco para encarar um grande desafio, de manter o Gigante da Colina na Série A. Naquele momento, o Cruzmaltino era o último colocado na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com nove pontos, e o camisa 17 foi o primeiro dos importantes reforços na segunda janela de transferências que ajudaram a equipe a concluir a missão.

– Sim, a verdade é que sim. Quando me falaram sobre a proposta do Vasco, eu estava de férias com a minha família e obviamente não pensei duas vezes. Eu gosto sempre de ter um objetivo e o objetivo claro quando cheguei ao Vasco era cumprir a meta de salvar. E a oportunidade foi dada. Cheguei quando tínhamos nove pontos, sem treinador e quando vinham falar comigo, eu dizia que falaria em campo. Cheguei com o objetivo claro e lutei. Consegui e trabalhei junto com os meus companheiros e conseguimos alcançar o objetivo – conta o jogador.

Medel também falou sobre o trabalho realizado no dia a dia no CT Moacyr Barbosa e nos jogos em São Januário e fora do Rio de Janeiro. O capitão vascaíno ressaltou a força do grupo e a importância da dedicação de todos os atletas nos treinamentos e nas partidas.

Medel chegou ao Vasco em julho de 2023. Foto: Leandro Amorim/Vasco da Gama

– O trabalho, o sacrifício, o companheirismo, jogar pela camisa pesada do Vasco, que é um clube muito grande. E é isso que você precisa. Se entregar em campo no dia a dia, seja nos treinamentos, seja nas partidas. Falando especificamente sobre mim, sempre dou o melhor que posso. Posso falhar, obviamente, mas sempre dou o melhor de mim, pelos meus companheiros e pelo clube, que é o mais importante.

Com carreira vitoriosa no futebol, Medel passou por clubes de massa pelo mundo, como Universidad Católica (CHI), Boca Juniors (ARG), Sevilla (ESP), Inter de Milão (ITA) e Besiktas (TUR). Ainda assim, a torcida do Vasco surpreendeu o chileno e ele conta como ela o empolgou.

– Aqui se sente, obviamente, como da outra vez, quando jogamos contra o Flamengo e tínhamos 30% a menos de gente e nossa torcida cantou mais que todos eles. Uma coisa impressionante. Estou muito agradecido por todo carinho que eles me entregam e eu busco jogar por eles em campo.

Confira o vídeo completo na VascoTV:

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo