Vasco e o Observatório da Discriminação Racial no Futebol formalizam uma parceria para ações na luta antirracista

sexta-feira, 18/11/2022

O racismo foi e continua sendo uma realidade no Brasil, em todos os meios sociais, incluindo o futebol. A luta antirracista se faz necessária para superação deste cenário, e o Club de Regatas Vasco da Gama foi o primeiro clube a lutar para que os negros pudessem jogar futebol.

A Resposta Histórica, como ficou conhecida a carta que o clube enviou à federação se negando a retirar seus jogadores negros do time e comunicando a sua desfiliação, em 1924, é um dos maiores orgulhos do torcedor cruzmaltino.

Neste 18 de novembro, dia do Combate ao Racismo, o Vasco e o Observatório da Discriminação Racial no Futebol formalizam uma parceria para ações na luta antirracista.

O objetivo é que o Vasco da Gama possa honrar sua história e se manter, no presente, como grande aliado na luta contra o racismo, contando com o Observatório Racial para organizar ações de combate ao racismo mobilizando atletas, torcedores e funcionários do Vasco da Gama.

A parceria fomentará ações educativas e preventivas, tais como novos treinamentos para funcionários, seguranças, atletas e comunidade, elaboração de manual antirracista e previsão de sanções para práticas racistas no código de conduta ética. Além disso, o Vasco se compromete a reforçar sua comunicação para a conscientização sobre o tema nas redes do Gigante da Colina, envolvendo a torcida vascaína!

Sobre o Observatório da Discriminação Racial no Futebol

O Observatório da Discriminação Racial no Futebol é um projeto que acredita no futebol como um importante instrumento de inclusão social e de luta contra a violência e a discriminação racial. Com base nisso, visamos utilizar a força do esporte mais popular do Brasil, para debater, alertar e conscientizar sobre a discriminação racial no futebol brasileiro.

O Observatório foi idealizado com o objetivo de monitorar, acompanhar e noticiar os casos de racismo no futebol brasileiro, assim como divulgar e desenvolver ações informativas e educacionais que visem erradicar essa praga que tanto macula a sociedade nacional.

Desde então, são oito anos produzindo o Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol, mostrando os casos de racismo e discriminações contra minorias representativas. Mas com o passar dos anos, o Observatório expandiu as ações, por acreditar que precisa usar a expertise como ferramenta na luta antirracista.

Outra atuação é prestando consultoria para clubes, Federações, CBF, escolas, universidades e empresas para ações de combate a discriminação e o preconceito, assim como produções de conteúdo e palestras.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo