Vasco inicia ciclo de palestras socioeducativas para atletas da #BaseForte

terça-feira, 19/10/2021

Por: Matheus Babo, São Januário

O Club de Regatas Vasco da Gama iniciou nesta terça-feira (19/10), um ciclo de palestras socioeducativas para os atletas das categorias de base. O primeiro palestrante foi o Dr Marco Dionísio, médico urologista, que falou sobre DST´s (Doenças Sexualmente Transmissíveis), para atletas das equipes Sub-15 e Sub-17.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Este ciclo de palestras será frequente para os atletas das categorias de base, envolvendo diversos temas importantes para a sociedade e consequentemente, na formação dos atletas. O evento foi aberto pelo Gerente Geral da Base, Rodrigo Dias, que falou sobre a importância dessa educação na formação dos atletas e ressaltou a responsabilidade do Vasco com os Meninos da Colina.

– É fundamental a gente contribuir para a formação dos nossos atletas. Quanto melhor for o cidadão, o ser humano, melhor vai ser o atleta. E sabemos que a gente contribui para a formação do atleta como um todo. Nem todos vão chegar na equipe principal do Vasco e temos uma responsabilidade muito grande em contribuir com a formação deles, seja na área social ou educativa. São diversos âmbitos que o ser humano precisa para sua formação. Aqui no Vasco nós pensamos para além do futebol. Tudo que for importante para a formação deles, nós vamos dar essas informações complementares, ações de palestras, para contribuir com conhecimento, para que eles sejam educados em todas as áreas que envolvem o dia a dia – explicou Rodrigo.

O Coordenador Médico da Base, Cláudio Henrique Ribeiro, também falou rapidamente, introduzindo o tema da palestra aos jogadores presentes e apresentando o urologista Marco Dionísio, que falou sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis e métodos de prevenção e tratamento. Outros departamentos estiveram presentes na palestra: Assistência Social, Administrativo, Psicologia, Nutrição, Científico e Relações Públicas.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo