Vasco luta até o final, mas é derrotado no clássico válido pelo Brasileirão

domingo, 22/10/2023

O Vasco da Gama lutou até o final na tarde deste domingo (22), no Maracanã, mas acabou derrotado por 1 a 0 pelo Flamengo na 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Na quinta-feira (26), o compromisso do Gigante da Colina é diante do Internacional, às 19h. Os ingressos para o jogo em São Januário foram esgotados pela torcida vascaína em poucas horas.

O jogo

O Vasco foi superior ao rival na maior parte do jogo e teve boas oportunidades em campo. Na etapa inicial, aos 11 minutos Payet cobrou escanteio na segunda trave e o goleiro adversário saiu de soco para defender. Na sobra, Paulo Henrique emendou um chute de fora da área.

Aos 16 muitos, a jogada foi de Payet com Vegetti. O camisa 10 recebeu no bico da grande área e cruzou de canhota para o camisa 99, que cabeceou, mas a bola ficou para defesa do goleiro adversário.

Foto: Leandro Amorim/Vasco Da Gama

Ao longo do primeiro tempo, o Vasco tinha mais oportunidades, chegando a ter seis finalizações contra uma do rival. Apesar das tentativas, o jogo foi para o intervalo com placar zerado.

De volta à etapa complementar, aos cinco minutos Praxedes tentou. A bola rebateu na defesa após batida cruzada de Vegetti e sobrou para o camisa 21. Nessa chance, a bola desviou na defesa e saiu em escanteio.

O Vasco lutou até o final, criou chances, pressionou, mas terminou a partida em desvantagem.

Arbitragem

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)

VAR: Daiane Caroline Muniz dos Santos (SP)

Escalações

VASCO: Léo Jardim; Paulo Henrique (Puma Rodríguez), Léo, Medel, Lucas Piton; Payet (Orellano), Paulinho, Praxedes (Sebástian Ferreira); Zé Gabriel (Jair), Vegetti e Gabriel Pec (Erick Marcus). Técnico: Ramón Díaz.

Flamengo: Rossi; Wesley, Fabrício Bruno, Léo Pereira, Ayrton Lucas; Thiago Maia, Erick Pulgar, Gerson (Everton), Arrascaeta (Éverton Ribeiro); Pedro (Gabriel) e Bruno Henrique (Luiz Araújo). Técnico: Tite.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo