Vasco treina em São Januário e atletas visitam Espaço Experiência

quarta-feira, 23/02/2022

Por: João Pedro Isidro, São Januário

Na tarde desta quarta-feira (23/02), o elenco de futebol do Vasco da Gama treinou no gramado de São Januário, de olho nos próximos compromissos da equipe: pelo Campeonato Carioca, enfrenta o Fluminense no sábado, às 17h, no Estádio Nilton Santos, e pela Copa do Brasil, o Vasco visita a Ferroviária, na próxima quarta-feira (02/03), às 21:30, em Araraquara (SP).

Vasco treina em sua casa (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Durante a tarde, diversos pais e atletas das categorias de base do Gigante da Colina, do Sub-8 aos Sub-20, puderam acompanhar o treino comandado por Zé Ricardo, que escolheu São Januário como palco da atividade por conta do gramado.

– A gente tá em recuperação dos campos do CT, pra gente não sacrificar o outro campo, decidimos treinar aqui hoje. Visando não só o clássico contra o Fluminense, no sábado, mas como também o jogo da Copa do Brasil, na quarta-feira que vem. O gramado de qualidade de São Januário ajuda nesse sentido.

Na primeira passagem de Zé Ricardo como técnico do Vasco, o clube ainda não contava com o CT Moacyr Barbosa, então treinar em São Januário fazia parte da rotina do atual comandante.

–  Na minha primeira passagem, nós treinávamos aqui e também no campo anexo, então era normal a gente trabalhar com esse carinho. E é importante para os jogadores sentirem o calor da nossa torcida, ver essa molecada do futsal e do futebol de campo acompanhando, vibrando, torcendo, passando confiança para os atletas. Eu acho que é importante nesse momento que estamos formando um novo grupo, esse tipo de atividade aqui em São Januário.

Atletas do Vasco no Espaço Experiência (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Antes do treino, todos os atletas e a comissão técnica visitaram o Espaço Experiência, localizado na antiga Sala de Troféus, e puderam aprender ainda mais sobre a rica história do Vasco da Gama. Torcedor cruzmaltino desde pequeno, o zagueiro Anderson Conceição reconheceu a taça da Copa Mercosul e falou sobre a emoção da partida.

– Eu era pequeno e estava vendo o jogo na sala de casa. Quando o Palmeiras fez 3 a 0, eu chorei, mas continuei assistindo e fui comemorando cada gol, até a virada. É muito bom estar perto da história do Vasco, ver tantos craques que escreveram seu nome aqui. Agora eu estou tendo a oportunidade e espero poder escrever meu nome na história do Vasco também – disse o camisa 4.

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo