Zagueiro Léo é apresentado no CT Moacyr Barbosa

quarta-feira, 04/01/2023

De olho nos desafios da temporada, o Vasco da Gama apresentou na manhã desta quarta-feira (04/01) mais um de seus reforços para 2023. Trata-se do zagueiro Léo, que foi contratado junto ao São Paulo e assinou contrato com o Gigante da Colina até dezembro de 2025. Acompanhado do diretor executivo Paulo Bracks, o defensor concedeu entrevista coletiva e vestiu pela primeira vez a camisa 3.

– Quando me ligaram fiquei muito contente com o convite, eu quero estar aqui, já parece que estou aqui há bastante tempo. Me receberam bem, estou feliz demais. Posso jogar em mais de uma posição, como o professor achar melhor, mas vim contratado como zagueiro. Na posição de lateral e de volante temos bons jogadores, respeito todos eles, zagueiro pela esquerda foi a posição que me trouxe até aqui – disse o novo zagueiro cruzmaltino, acrescentando na sequência.

– Vim para o projeto de reconstrução da história do Vasco, que é linda. Um projeto para os jogadores, clube e torcedores. Todos pensando só no bem do clube vai inspirar muita gente. Eu sou carioca e o Vasco é um clube gigante, merece respeito, e por isso estou aqui. O Abel me ligou, é um cara muito sério e pode ter certeza que quando ele te liga é porque é algo sério – complementou o defensor Léo.

Confira outros trechos da entrevista coletiva do zagueiro Léo:

Mudança de posição

“A conversa com Diniz para eu mudar de posição durou uns 40 minutos em campo. Eu me assustei quando ele falou que poderia jogar de zagueiro e volante, mas comprei a ideia e falei que precisava da ajuda dele. Comecei a gostar da posição, ele disse que era uma posição que não tinha tanto no mercado, comprei a ideia e deu certo”.

Entrosamento

“Não só eu, mas todo jogador teve o desafio de sair de casa pelo sonho. Quando a gente veste a camisa do Vasco, um clube grande, a gente dá o nosso máximo. É degrau a degrau, tudo novo para todos, vamos buscar esse entrosamento no dia a dia. Eu sou um atleta que gosta de estudar, perguntar e ouvir”

Abel Braga

“Eu estava de férias viajando, o Abel me ligou e estranhei. Já trabalhei com ele. Ele disse “vou ser direto” e falou do projeto. Disse que o Vasco nunca mais seria o mesmo. E eu disse que queria participar desse projeto. Tenho 15, 20 anos para aproveitar o futebol é tenho que aproveitar os desafios. Daqui a pouco o futebol passa e quero viver tudo que tenho pra viver”.

Mudança

“Eu continuo sendo o mesmo Léo, mas a gente encontra pessoas, adquire experiência e o fora de campo tem tudo a ver com o dentro de campo. A maneira como você trata as pessoas, eu trato todos bem e levo minha alegria pra dentro de campo. O futebol mudou minha vida. Se eu consigo trazer essa alegria no dia a dia eu consigo desfrutar do futebol”

Inspiração

“Minha inspiração, até teve essa brincadeira no meu antigo clube, que era Léo Alaba. Não é mais Léo Pelé, agora é Léo Alaba. Eu estudava muito o Alaba e o Thiago Silva. Estudava bastante o Thiago pela maneira de se comportar dentro de campo e o líder que ele é. E o Alaba, não por comparar futebol, técnica, mas da função de ser lateral e ir para a zaga e às vezes na seleção joga até de volante e meia. Um jogador que joga em várias posições. Isso foi me inspirando a cada dia e me fez crescer um pouco mais. A maneira de me comportar fora de campo. Por exemplo, o Miranda foi um cara que me ajudou muito, mostrou os posicionamentos, a maneira como é importante, a distância para o outro zagueiro. Tenho um carinho e um respeito muito grande por ele. Buscar evoluir tem que ser sempre, não só eu no futebol, mas você na imprensa também. Quando você chega no patamar que acha que está bom, pode aposentar. A vida não é dessa maneira”.

Assista a entrevista coletiva de apresentação do zagueiro Léo:

 

Vasco da Gama, o time que venceu o racismo